CARREGANDO

Digite para buscar

Como declarar leasing no Imposto de Renda?

Também conhecido como arrendamento mercantil, o leasing se assemelha ao aluguel, ou seja, a pessoa que contrata tem o direito de utilizar o bem. No entanto, diferente da locação, no final do contrato de leasing, o bem pode ser adquirido.

leasing no imposto de renda

Essa operação, que acontece por meio de um arrendador (banco ou sociedade de arrendamento mercantil) e arrendatário (cliente), deve ser declarada no Imposto de Renda Pessoa Física, por isso, preparamos um passo a passo.

Antes de tudo, é importante lembrar que existem variações no momento de declarar o leasing, visto que há diversas circunstâncias, portanto:

a) Leasing com opção de compra exercida no final do contrato, encerrado em 2019:

– Utilize o código relativo ao bem, por exemplo, 21 para automóvel;
– No campo “Discriminação”, informe os dados do bem e do contratante, como especificações sobre o bem adquirido e nome e CNPJ da instituição financeira;
– Em seguida, no campo “Situação em 31/12/2018 (R$)”, informe os valores pagos até essa data. No caso de leasing contratado em 2019, deixe este espaço em branco;
– Por fim, no campo “Situação em 31/12/2019 (R$)”, informe o valor pago até então, incluindo o valor residual, pago ao fim do contrato.

b) Leasing feito em 2019, com opção de compra a ser exercida no final do contrato, que só vai encerrar a partir de 2020:

– Utilize o código 96 – Leasing;
– No campo “Discriminação”, informe os dados do bem, do contratante e o total dos pagamentos efetuados;
– Não preencha os campos “Situação em 31/12/2018 (R$)” e “Situação em 31/12/2019 (R$)”.

c) Leasing feito até 2018, com opção de compra exercida no ato do contrato:

– Utilize o código relativo ao bem;
– No campo “Discriminação”, informe os dados do bem e do contratante;
– Nos campos “Situação em 31/12/2018 (R$)” e 31/12/2019 (R$)”, insira o valor do bem;
– Em seguida, vá na ficha de “Dívidas e Ônus Reais”, à esquerda. Informe nos campos “Situação em 31/12/2018 (R$)” e “31/12/2019 (R$)”, respectivamente, o valor restante da dívida nas datas citadas. Ou seja, no primeiro espaço, qual era o saldo devedor em 31/12/2018, e no segundo campo qual era o saldo devedor em 31/12/2019.

d) Leasing realizado em 2019, com opção de compra exercida no ato do contrato:

– Utilize o código relativo ao bem;
– No campo “Discriminação”, informe os dados do bem e do contratante;
– Não preencha o campo “Situação em 31/12/2018 (R$)”;
– Já no campo “Situação em 31/12/2019 (R$)”, informe o valor do bem.
– Por fim, lembre-se de ir até a ficha de “Dívidas e Ônus Reais” e informar o valor da dívida no campo “Situação em 31/12/2019 (R$)”.

e) Leasing com compra não exercida no final do contrato, encerrado em 2019:

Em caso de devolução do bem ao final do contrato, é preciso zerar o campo “Bens e Direitos”, onde o item estava sendo declarar através do código 96. Dessa forma:

– Deixe em branco o espaço “Situação em 31/12/2019 (R$)”;
– Em “Discriminação”, informe que o bem e o valor do pagamento residual foram devolvidos, caso este haja o segundo.

Achou difícil? Nem tanto, né? Qualquer dúvida, não deixe de nos perguntar nos comentários! Ajudar os declarantes com suas declarações de imposto de renda é o nosso negócio.

Por isso, criamos recentemente uma plataforma que facilita todo este processo de preenchimento e entrega da declaração. Nela, além de contar com o preenchimento inteligente e intuitivo, há ainda análise de caixa e verificação dos dados informados.


Conheça já nossa plataforma!

Veja também